Archive agosto 2018

8 DICAS PARA ELABORAR UM BOM CURRÍCULO

curriculum.jpg

Nem é preciso dizer que é um currículo muito bom se destaca na pilha de CVs que os recrutadores recebem todos os dias. Segundo profissionais de Recursos Humanos (RH), eles levam cerca de 30 segundos para dar aquela “passada de olho” no CV para descartá-lo ou analisar melhor.

Dessa forma, é essencial acertar nessa fase inicial, fisgar o olhar do recrutador para que ele te observe melhor e chame-o para uma entrevista. É o momento que você tem para vender sua qualificação profissional. E como vendedor você sabe, a apresentação é muito importante para o sucesso.

1. Sintetize sua experiência em uma página

Recrutadores são unânimes em dizer que o candidato deve ser breve, o que não significa incompleto. Assim, você deve ser capaz de sintetizar a experiência profissional em uma página. Destaque a empresa, cargo(s) e período em cada um em ordem cronológica inversa, da mais nova para a mais antiga.

2. Nome, endereço, contato e outros dados pessoais

No alto da página, coloque seu nome completo em destaque, use negrito e uma fonte com um número maior do que do restante das informações. O endereço é necessário porque algumas empresas, principalmente nos grandes centros, levam em consideração onde o candidato mora para contratar ou não. Outro dado pessoal importante é a data de nascimento, pois ela demonstrará um parâmetro para avaliar o quanto você realizou, com qual idade se inseriu no mercado de trabalho e outros. Os contatos também são imprescindíveis, o que inclui telefones, e-mail e Skype – esse último porque muitas empresas realizam entrevistas por Skype.

3. Formação acadêmica e outros cursos

Informe quais cursos já fez, em nível acadêmico e livres. Os cursos livres mostram que você procura se aperfeiçoar, assim como pós-graduações, MBAs, mestrados e outros. Além do curso, você precisa informar a duração deles para que o entrevistador saiba quanto tempo e profundidade teve sua capacitação.

4. Idiomas

especialistas orientam colocar apenas línguas nas quais você tenha pelo menos nível intermediário, pois básico dá a impressão de que é ruim. Vale colocar inglês avançado para leitura e intermediário para conversação, por exemplo, pois em algumas organizações é necessário ler muitos documentos em outra língua.

5. Formatação

O ideal é o básico. Escolha entre as conhecidas Arial ou Times New Roman. Tamanho deve variar entre 10 e 12, nunca menor ou maior. Menor oferece dificuldade de leitura, cansa o olhar e maior dá a impressão de que o candidato quis espichar a informação. Evite margens para que o currículo fique com visual mais limpo.Inclusive, no final deste artigo há um modelo para você baixar já formatado.

6. Premiações e outros destaques

Com certeza esse item chama a atenção do recrutador. Em meio a tantas listas de empresas se você tiver recebido algum prêmio pela atuação profissional ou algum outro tipo de reconhecimento ele vai olhar para seu currículo de outra forma.

7. Pretensão salarial só se solicitarem

Só diga a remuneração desejada se a empresa exigir no anúncio da vaga e nunca no currículo, só por e-mail e telefone. Em algumas corporações, os benefícios da vaga podem ser um complemento tão interessante para o colaborador quanto o salário. Assim, dizer quanto deseja ganhar sem ser perguntado pode fazer você perder uma bela oportunidade.

8. A verdade acima de tudo

Nunca diga que fez algo ou que tem uma habilidade só para impressionar. Lembre-se que o papel aceita tudo, mas o recrutador usa técnicas que podem desmascarar um currículo e se você ainda assim conseguir passar pela entrevista, no dia a dia seus diretores verão que você não é tudo que falou. Assim, de nada irá adiantar ter elaborado o currículo perfeito se rapidamente o esforço para ser contratado cair por terra. Dessa forma, em pouco tempo você estará distribuindo-o novamente.

Fonte: Escola Brasileira de Vendas

AMAZON TERÁ 50% DAS VENDAS ON-LINE NOS EUA AO FIM DE 2018

Amazon-2017-NOVAREJO-615x420.jpg

Estudo aponta que o crescimento será impulsionado em especial pelas vendas no marketplace.

Veja quais segmentos do varejo têm se destacado na Amazon

A Amazon deve crescer quase 30% ao final de 2018, ocupando 49,1% das vendas on-line nos Estados Unidos. A gigante varejista havia fechado 2017 com uma participação de 43,5% no varejo e controle de quase 5% do mercado total de varejo dos EUA (on-line e off-line). De acordo com estudo do eMarketer, a Amazon vai crescer 29,2% em termos de dinheiro movimentado em suas plataformas on-line, chegando a 258,22 bilhões e atingindo metade do market share do e-commerce na maior economia do mundo.

O crescimento da empresa de Jeff Bezos está sendo impulsionado principalmente pelas vendas no marketplace, que devem passar 32% para 68% do total, mais que o dobro das vendas diretas. Segundo Andrew Lipsman, analista da eMarketer, faz todo sentido a Amazon promover o aumento dos negócios no marketplace, mesmo em detrimento ao comércio direto de seus produtos via e-commerce.

“Mais compradores realizando transações com mais frequência na Amazon atrairão, naturalmente, mais sellers. Como as transações de terceiros também são mais lucrativas, a Amazon dá todo o incentivo para tornar o processo de vendas de terceiros em sua plataforma o mais simples possível”, afirma o especialista.

Categorias mais populares

Eletrônicos são os produtos mais vendidos pela varejista, com vendas que devem atingir 65,82 bilhões de dólares nos EUA até o fim do ano. O segmento de modas deve atingir um crescimento de 38%, chegando a 39,8 bilhões de dólares, firmando-se como segundo mais importante dentro das plataformas Amazon, com 15,4% do total de vendas on-line. A venda de roupas e acessórios via Amazon deve fechar 2018 representando 38,5% de todo o varejo on-line de moda nos Estados Unidos.

Alimentos e bebidas

Desde a compra da Whole Foods no ano passado, a Amazon aguarda a popularização das vendas de alimentos e bebidas pela internet. O crescimento registrado pela varejista nessa área é um dos mais importantes, 40% até o fim do ano. Porém, ainda representa pouco das vendas totais nessa categoria. “O comércio eletrônico no setor de mercearia é um desafio. A participação das vendas on-line nessa categoria é baixa porque a maioria das pessoas, por uma série de motivos, prefere comprar alimentos em lojas de tijolo e argamassa”, afirma Patricia Orsini, analista sênior da eMarketer.

Segundo a especialista, apesar das dificuldades, a Amazon tem largo potencial para abocanhar as vendas nesse segmento tão logo as pessoas se acostumem a realizar suas compras on-line. “Com os insights coletados sobre os compradores da Whole Foods, a Amazon provavelmente tem a melhor chance de converter os compradores de mercearia na loja para os compradores de mercearia on-line”, avalia Patricia.

Fonte: PORTAL NO VAREJO 

DANCE CONFORME A MUSICA

DANCE

Um grande vendedor não atende clientes da mesma forma toda vez, e sim, tem a capacidade de se adaptar às diferentes situações e ao estilo e ritmo de cada cliente.

 
Você não precisa se transformar cada vez que estiver conversando com um novo cliente, nem desenvolver múltiplas personalidades.
Entretanto, um cliente mais formal pode não responder muito bem a uma abordagem descontraída, assim como alguém descontraído talvez não goste de uma abordagem excessivamente formal.
 
Uma vez Harry Friedman, consultor de varejo mundialmente conhecido e fundador do The Friedman Group, estava ensinando um jovem vendedor a abrir a venda.
Ele o observou utilizando uma abordagem engraçada com um casal de uns 20 anos de idade.
Quando chegou a vez do jovem, ele usou a mesma abordagem com um casal de 60 anos.
Resultado: perdeu a venda. 
 
A questão não é julgar os clientes, mas observá-los e ouvi-los, para construir seu atendimento de forma a deixá-los à vontade.

DICAS PARA VENCER O MÊS DE AGOSTO

AGOSTO.jpg

DICAS PARA VENCER O MÊS DE AGOSTO

 
Para vencer o mês de agosto é preciso antes de mais nada paciência e fé. Paciência para cruzar os dias sem se deixar esmagar por eles, mesmo que nada aconteça de mau..
Fé para estar seguro, o tempo todo, que chegará setembro — e também certa não-fé, para não ligar a mínima às negras lendas deste mês de cachorro louco.
 
É preciso quem sabe ficar-se distraído, inconsciente de que é agosto, e só lembrar disso no momento de, por exemplo, assinar um contrato e precisar da data.
Então dizer mentalmente – ah!, escrever tanto de tanto de mil novecentos e tanto e ir em frente. Este é um ponto importante: ir, sobretudo, em frente.
 
Para atravessar agosto também é necessário reaprender a dormir. Dormir muito, com gosto, sem comprimidos, de preferência também sem sonhos.
São incontroláveis os sonhos de agosto: se bons deixam a vontade impossível de morar neles; se maus, fica a suspeita de sinistros augúrios, premonições.
 
Armazenar alimentos, como às vésperas de um furacão anunciado, mas alimentos espirituais, intelectuais, e sem muito critério de qualidade.
 
Muitos vídeos, de chanchadas da Atlântida a Bergman; muitos CDs, de Mozart a Sula Miranda; muitos livros, de Nietzsche a Sidney Sheldon.
 
Controle remoto na mão e dezenas de canais a cabo ajudam bem: qualquer problema, real ou não, dê um zap na telinha e filosoficamente considere, vagamente onipotente, que isso também passará.
 
Zaps mentais, emocionais, psicológicos, não só eletrônicos, são fundamentais para atravessar agostos.
 
Para atravessar agosto ter um amor seria importante, mas se você não conseguiu, se a vida não deu, ou ele partiu — sem o menor pudor, invente um. Pode ser Natália Lage, Antônio Banderas, Sharon Stone, Robocop, o carteiro, a caixa do banco, o seu dentista.
Remoto ou acessível, que você possa pensar nesse amor nas noites de agosto, viajar por ilhas do Pacífico Sul, Grécia, Cancún, ou Miami, ao gosto do freguês.
 
Que se possa sonhar, isso é que conta, com mãos dadas, suspiros, juras, projetos, abraços no convés à luz da lua cheia, brilhos na costa ao longe. E beijos, muitos. Bem molhados.
 
Não lembrar dos que se foram, não desejar o que não se tem e talvez nem se terá, não discutir, nem vingar-se ou lamuriar-se, e temperar tudo isso com chás, de preferência ingleses, cristais de gengibre, gotas de codeína, se a barra pesar, vinhos, conhaques — tudo isso ajuda rss
 
Vencer A GOSTO…o mês …o gosto e a vontade!
 
by P.H
 
 
%d blogueiros gostam disto: