NÃO GUARDO MÁGOAS, MAS NÃO SOFRO DE AMNÉSIA

quem-guarda-magoas.jpg

Nossa sobrevivência e lucidez emocional em muito dependerá daquilo que resolvermos guardar dentro de nós e de tudo o que estivermos mantendo junto a nossas vidas. Quanto mais peso, quanto mais mágoa, quanto maior a dificuldade em sorrir, menos forças teremos para buscar a felicidade que tanto desejamos. (…)

Tentar dar certo, no amor, na amizade, na profissão, é necessário, porém, jamais poderemos nos estender além dos limites de nossa dignidade nesse caminho.

Não somos acostumados a perder, em nenhum setor de nossas vidas, pois queremos sempre acertar e fazer as escolhas certas. No entanto, isso não pode, em hipótese alguma, impedir-nos de desistir de coisas, de pessoas, de situações que não mais se sustentam.

Infelizmente, seremos surpreendidos negativamente em muitos momentos de nossa jornada, porque simplesmente nem todo mundo nos entenderá, nem todo mundo pensará como nós, nem todo mundo trará retorno por tudo o que oferecermos. Seremos mal entendidos, nossas palavras serão mal interpretadas, usarão nosso melhor da pior forma. Amargaremos muitas decepções e de quem mais amamos, de quem menos esperávamos.

Logicamente, ficaremos muito magoados e juntaremos raiva e mágoa à decepção, pois, num primeiro momento, perderemos o chão e nada parecerá fazer sentido. Com o tempo, porém, será necessário digerir, aos poucos, as mágoas que carregamos, no sentido de torná-las cada vez mais distantes, menos pesadas, menores, até que se transformem em lições.Sim, lições de tudo o que deveremos evitar e de todos de quem deveremos nos distanciar.

Por essa razão é que não precisamos esquecer o mal que nos fizeram, mas sim retirarmos dele forças para que não mais nos façam o que tanto nos magoou, para que não mais sejamos enganados, passados para trás, traídos, diminuídos, nunca mais.

Juntar mágoa paralisa e enfraquece, mas transformar cada experiência em fortalecimento emocional é o que nos tornará mais aptos a enxergar em cada novo dia uma nova chance de ser feliz.

do professor e escritor Marcel Camargo

AINDA TEM GENTE QUE PENSA QUE É SORTE

AINDA TEM GENTE QUE PENSA QUE É SORTE
trabalho
Para milhões de pessoas que fazem muito pouco no sentido de buscar conhecimento, de ter atitudes pró ativas e de desperdiçar o tempo, com coisas que não acrescentam nada para a vida, quando olham para alguém bem sucedido, logo dizem: Como tem sorte.

Entretanto, o sucesso não é um mero acaso ou uma dádiva especial, ou mesmo um privilégio especial chamado sorte.

Ele é fruto de muito trabalho, perseverança, dedicação, estudo, leituras diárias e principalmente objetivos claros que motivem para conseguir o que desejam.

O sucesso não chega para ninguém que não trabalhe seriamente. Também não chega de uma hora para outra, como um passe de mágica.
Mesmo os cantores famosos que surgem na televisão, trabalham durante muitos anos até encontrar através de uma música o reconhecimento do público.

O sucesso começa a ser construído, ainda na juventude, quando os jovens param para pensar porque estudam e o que desejam da vida. Alguns são estudiosos e responsáveis e começam a batalhar no seu dia a dia, cumprindo com suas obrigações e buscando tudo aquilo que precisa para atingir o fim estabelecido.

Felizes deles que, pela maturidade antecipada e muita disciplina encurtam o caminho para o sucesso, que é sempre o cumprimento dos objetivos que estabeleceu para sua vida.

Para muitos sucesso é ter poder e muito dinheiro. Na realidade sucesso é atingir objetivos pessoais de vida, não esquecendo que todos os aspectos para viver bem devem ser perseguidos, como: Tranqüilidade para viver, um trabalho digno que proporcione uma situação financeira equilibrada, uma família feliz, muita saúde pessoal e familiar e principalmente paz interior para poder desfrutar de tudo que existe na vida.

Infelizmente milhões de jovens se forem perguntados sobre o que desejam ter na vida, não sabem responder, porque nunca pensaram sobre isso. Apenas deixam a vida passar. Esperam que o milagre aconteça e que venha ao seu encontro. Como isto não acontece, muito cedo se revoltam e culpam os outros ou a falta de oportunidade.

Esquecem que as oportunidades surgem para aqueles que constroem uma vida usando cada minuto de seu tempo com formação adequada, com dedicação e atitudes positivas e principalmente cumprindo bem todas as etapas até atingir a fase adulta, quando tudo precisa acontecer.

A hora da construção vem antes e depende da vontade de cada um e do desejo de ser um vencedor. Consciente disso trabalha para chegar lá e vê seus esforços serem recompensados com as melhores oportunidades do mercado.

Por isso não fiquem esperando, larguem na frente e busquem o que desejam. Todas as soluções estão dentro de cada um. Reflitam sobre isso, façam uma introspecção e encontrem as respostas fixando seus objetivos de vida para serem felizes.

SOBRE O DESAPEGO

86bd7d_cfb5e172c4d9485396a0cf7bbdb503fb
Existem pessoas que passam a vida toda em relacionamentos ruins, situações ruins ou trabalham até a aposentadoria em empregos que detestam, pelo simples fato de que se recusam a desapegar…
Quando uma pessoa é muito apegada, geralmente ela é apegada em muitos aspectos, e vive presa a coisas ruins em várias as áreas da vida…
 
Você é assim?
 
Está há anos em um trabalho que não gosta, mas nunca sequer tentou procurar outro?
Tem amigos que só te colocam pra baixo, demonstram que não têm consideração por você, e continua andando com eles? Tem um monte de objetos que não servem pra nada e que você nem gosta, mas não consegue jogar fora?
 
Se você tem dificuldade em abrir mão daquilo que sabe que não te faz bem (ou é inútil) para abrir espaço para o novo entrar na sua vida, reflita sobre estas questões:
Se isso não me faz feliz, por que manter na minha vida?
 
Olhe individualmente para cada fator ao qual você é apegado: um objeto por vez, uma pessoa por vez, uma atividade por vez… para cada um deles, analise: isso está alinhado com a minha felicidade? Tem alguma utilidade na minha vida? Me traz algum bem?
 
Para aqueles que não conseguiu encontrar nada de positivo, a questão a se fazer é: se isso não me faz feliz, por que manter na minha vida? Por que ocupar meu tempo, espaço e energia – recursos tão valiosos e limitados – com isso? Eu aceitaria viver dessa forma pelo resto da vida?
 
Tudo bem que às vezes estamos passando por um momento complicado ou chato – mas necessário – e precisamos aceitar. Mas isso não é apego, é processo.
 
Apego é quando já passou da hora de você dar um basta e mudar, mas continua empurrando com a barriga e não fazendo nada pela mudança…
Você aceitaria viver dessa forma pelo resto da sua vida?
 
Se a resposta é um convicto ou desesperado NÃO, é sinal de que está na hora de desapegar e dar início à mudança…
 
by jornalista Stephanie Gomes
 
%d blogueiros gostam disto: